Terra Brasil: Sindicatos estão aptos a realizar projetos para aquisição de terras | Agricultura | Notícias | Novo Rural
FREDERICO WESTPHALEN - RS
PUBLICIDADE
Terra Brasil: Sindicatos estão aptos a realizar projetos para aquisição de terras
Terça, 23 de Fevereiro de 2021
Divulgação

Após quase seis anos, o Programa Terra Brasil está aberto e pode ser contratado para aquisição de terras. O vice-presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetag/RS), Eugênio Zanetti, e o assessor de Política Agrícola, Kaliton Prestes, estiveram em reunião na sede do Decred, em Brasília, na manhã desta terça-feira, dia 23 de fevereiro.

Com a confirmação de que o Programa Terra Brasil, antigo Crédito Fundiário, está operacional, os Sindicatos dos Trabalhadores Rurais já podem elaborar os projetos para contratação através dos profissionais credenciados, mesmo que o Manual Operativo ainda não tenha sido publicado, o que deverá acontecer em março. Isso se deve à organização da Fetag/RS em relação aos modelos próprios de projetos técnicos, ao domínio do fluxo operacional e ao credenciamento prévio da Federação junto ao Governo Federal.

De acordo com o vice-presidente da Fetag/RS, Eugênio Zanetti, a operacionalização do Terra Brasil pode ser considerada uma conquista para o Movimento Sindical. 

– O programa estava parado desde 2015 e sempre cobrávamos uma solução do Governo Federal. É importante dizer que os sindicatos já estão capacitados para prestar todo o suporte necessário ao agricultor e pecuarista familiar que queira adquirir terras e começar a produzir – reforça Zanetti.

O Terra Brasil é um programa do Governo Federal que promove o acesso à terra e a recursos para investimentos básicos e produtivos, permitindo a estruturação dos imóveis adquiridos, cujas famílias são as responsáveis por escolher a terra e pela negociação do preço, além de elaborar a proposta de financiamento. O prazo de pagamento é de até 25 anos, com 36 meses de carência, com um teto de financiamento de R$ 158 mil para custear a compra da terra, assistência técnica e despesas com cartório.

Fonte: Da Redação, com informações da Assessoria de Imprensa da Fetag/RS
MAIS FOTOS
COMENTÁRIOS