Sorgo como alternativa para segunda safra é foco de projeto da Emater | Agricultura | Notícias | Novo Rural
FREDERICO WESTPHALEN - RS
PUBLICIDADE
Sorgo como alternativa para segunda safra é foco de projeto da Emater
Sexta, 19 de Fevereiro de 2021
Divulgação

Pensando em apresentar aos produtores rurais da região novas culturas graníferas que sejam uma alternativa ao milho, o Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Frederico Westphalen iniciou um projeto que avalia a cultura do sorgo como uma alternativa de plantio para a segunda safra. Na semana passada, a primeira área desse projeto foi implantada com a cultura do sorgo na região. Nesta semana, outros municípios também realizaram o plantio do sorgo em áreas que se tornarão Unidades de Referência Técnica (URTs).

O projeto tem como objetivo aprofundar os conhecimentos sobre a cultura do sorgo e o posicionamento desta como alternativa para a segunda safra na região, que contempla os Coredes Médio Alto Uruguai e Rio da Várzea.

– O projeto consiste em avaliar oito híbridos de sorgo granífero, que serão implantados em nove municípios. As áreas implantadas com o sorgo serão acompanhadas pela equipe técnica da Emater, considerando diferentes aspectos, como as condições de ciclo, ataque de pragas e doenças, produtividade e as estratégias de manejo – explicou o gerente-regional da Emater/RS-Ascar, Luciano Schwerz.

Segundo ele, o sorgo é uma cultura que apresenta menor custo de produção, quando comparado a outras alternativas de segunda safra.

– É uma cultura que apresenta boa tolerância ao estresse hídrico e pode substituir, parcialmente, o milho na composição de rações. É uma planta que apresenta sistema radicular agressivo e pode contribuir no manejo e conservação dos solos – ponderou Schwerz.

Palmeira das Missões, Sarandi, Ronda Alta, Cristal do Sul, Jaboticaba, Pinheirinho do vale, Iraí, Nonoai e Cerro Grande são os municípios que terão áreas implantadas de sorgo e serão acompanhadas durante o processo de plantio, desenvolvimento e colheita. A intenção do projeto é, posteriormente, realizar atividades práticas nas URTs, como dias de campo, para apresentar aos produtores rurais os resultados do comportamento da cultura na região.

Mesmo no início da execução, esse projeto vem apresentando resultados positivos quanto ao interesse de empresas, consumidores de milho, fábricas de ração, para aquisição desse produto. Algumas empresas já expressaram interesse de compra, inclusive, com contrato de garantia de preço, o que traz segurança ao produtor que irá investir nesse cultivo.

A Emater/RS-Ascar acompanhará todo o processo envolvendo esse projeto, prestando orientação técnica aos produtores rurais, realizando a capacitação e qualificação de sua equipe técnica, avaliando a cultura do sorgo e seu comportamento na região, especialmente como uma alternativa frente ao cenário de baixa disponibilidade de milho.

– Essa é uma das ferramentas que estamos buscando, para dar sustentabilidade, garantia e segurança para os produtores e as empresas envolvidas com a cadeia produtiva de grãos na nossa região – finalizou o gerente regional da Emater/RS-Ascar.

Fonte: Da Redação, com informações da Emater/RS-Ascar
MAIS FOTOS
COMENTÁRIOS