Um holandês que faz história na agricultura gaúcha | Agricultura | Notícias | Novo Rural
FREDERICO WESTPHALEN - RS
PUBLICIDADE
Um holandês que faz história na agricultura gaúcha
O agricultor Cornelis Uitdewilligen, da Granja Holanda, veio para o Brasil quando criança, junto da família, e na região abraçou as oportunidades que o setor proporcionou
Terça, 09 de Outubro de 2018
Gracieli Verde

Quem passa pela BR-158, em Boa Vista das Missões, na altura do quilômetro 81 da rodovia, enxerga um cenário que é replicado milhares de vezes em fotografias por aí. São os famosos plátanos nas duas margens da estrada, já em território da Granja Holanda, de propriedade do agricultor Cornelis Uitdewilligen, conhecido como Case. Holandês que veio para o Brasil aos 3,5 anos de idade, em 1949, com os pais, ele conta que na Holanda todo Cornélis é Case, assim como no Brasil todo Francisco é Chico, Antônio vira Tonho e José se torna Zé.

Foi ele mesmo quem plantou os famosos plátanos, intercalados de dois em dois metros com uva-japão – mas estas não se adaptaram tão bem ao clima, sofreram muito com as geadas e ficaram para trás. “Os plátanos pegam de galho, é uma facilidade”, exclama Case, enquanto chegamos perto da Rodovia da Produção, onde as plantas formam um verdadeiro cartão-postal. Ele fez questão de conversar com a reportagem andando pela fazenda, que é referência na manutenção e no aumento dos índices de produtividade a cada ano, ao longo de quase meio século.

Não há quem não cite a Granja Holanda como mantenedora de áreas extremamente produtivas e sustentáveis do ponto de vista do manejo aplicado na produção de grãos. Aquele cuidado com a implantação dos plátanos, inclusive com adubação, que todos veem ao passar pela BR-158, é facilmente visto nas áreas de soja, milho, trigou ou aveia que geram os negócios da fazenda.

Referência em manejo e produtividade

Desde que assumiu a granja, há quase 50 anos, Cornélis conseguiu elevar a produtividade em uma saca por hectare por ano, na média. Em uma terra que era cheia de plantas daninhas, em especial a “barba-de-bode”, o holandês precisou trazer tecnologia de fora na época, como o uso de adubação, para recuperar essas áreas. Mais tarde a rotação de culturas e o uso estratégico do milho também foram fatores cruciais para que a fazenda conseguisse manter áreas com solo extremamente equilibrados do ponto de vista de nutrientes, sendo assim muito produtivos.

A excelência é mantida com muito conhecimento técnico

Durante cerca de 35 anos Cornélis também manteve uma sementeira, que forneceu sementes para muitas regiões do país. Há quatro anos ele decidiu parar com o empreendimento. Essa experiência também fez com que aprimorasse muito a agricultura comercial. Com assistência técnica direta de um agrônomo e um técnico agrícola responsável por toda aplicação de insumos nas áreas da fazenda, o produtor sabe bem o valor do conhecimento.

Hoje a Granja Holanda foca especialmente nas produções de trigo e aveia branca no inverno e milho e soja no verão. Nada da área irrigada. Tudo alicerçado em solo que armazena água graças à palhada deixada pelas culturas e à um solo bem estruturado, resultado de décadas de um manejo focado em resultados. Para ele, a essência da agricultura está na vontade de fazer, na ambição e no conhecimento.

No que o Case acredita!

– Honestidade não é virtude, é obrigação.

– Se quiser subir na vida tem que ter disposição.

– Um pai precisa ser um educador, não um facilitador.

– Tem que ter cabeça aberta e acreditar em dias melhores.

Fonte: Gracieli Verde/Revista Novo Rural
MAIS FOTOS
COMENTÁRIOS